Vi nas estatísticas que pessoas de outros países olham meu blog, então aí vaí o tradutor pra vocês!

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

domingo, 29 de agosto de 2010

Desejo...


Em que boca tiras tua sede? Onde a perpétua?
Não sei mais se são naquelas que um dia as beijou. Acariciou. Desejou.
Inevitável. Teu peito rigido.
Moldo-me a ele, como se fosse algo que será feito para mim mesma.
Como se fosse pele. Ardor. Dor. Devassa.
E quando se afasta, uma leve brisa passa entre nossos corpos, anunciando algum vazio.
Alguma saudade que devasta. Que não quero sentir.
Desejo apenas o vão da nossa lucidez. Insensatez.
Fica apenas o teu perfume, espalhados em meu sentido.
Percorre como se fosse vivo. Apenas, dentro de mim...

(Por: Eu mesma, Beatriz Freire A. Bezerril)

Não sei se te conheço mais, nem onde te escondes.

Boa noite.

9 comentários:

Alexandra :) disse...

Só pode ser um dom pra poder escrever coisas tão lindas:D
ameei bia!

inHa. #) disse...

aí é uma poeta D:

Rhaquel disse...

Huuuummmmm arrasou meninaaaa!
Aposto que muita gente vai se identificar e vai usar seu poema (começando por mim) hauhauahauhaua...

bjus

Beatriz Bezerril =) disse...

Colocando meu nome, não tem problema! kkkkkkkkkkkkkkkkk

Afrânio Medeiros disse...

Parece até uma narrativa de uma noite qualquer.
Parece até que eu conheço essa história.
Belas palavras, conduzidas sabiamente à quem sabe do que se trata.
Bia, tu se garante.

Jonathan F. disse...

Muito bom. Como eu disse, é poetera mesmo.

A propósito...
"Teu peito rigido." HM, então bia gosta dos bombados HAEUHUAEHuAEHUHAE
Sorry, não resisti.

Beatriz Bezerril =) disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Thiago Victor disse...

Tal sensação digna de se imortalizar em milésimos de segundos, como em uma solene noite, a lua se deita no oceano resplandecendo seu brilho em rastros nas ondas que já não são frias como pela manhã e sim nos transmitindo ternura como um carinho daqueles que recebemos fechando os olhos e nos sentimos numa dimensão na qual não sabemos se realmente sabemos se devemos voltar. Esta é tua presença, teu abraço, teu carinho, teu olhar que me faz viver esse dilemas, ser tão sonhador...

Beatriz Bezerril =) disse...

Quem é você? Escreves muito bem.